quinta-feira, 15 de novembro de 2012

" HORA MARCADA "

Quando chegar a hora, meu amor.
Aquel'hora, sem mais minutos, p'ra mim.
Não chores. Não sofras, por favor!
Qu'as flores, também morrem no jardim.

Não basta querer. Ou, não querer.
S'o Destino, marcou já, a minha ida.
Cedo ou tarde, terá qu'acontecer!
P'ra isso, deu-me Deus, a própria Vida.

Não levo daqui, muitas recordações.
Mas sim, muitas perguntas, a fazer.
Quero encontrar Deus, p'ra que depois;
Ele m'possa, a todas elas, responder.

'Sta Vida, meu amor, é uma passagem.
Se quiseres, chama-lhe antes; uma Miragem.
Uma réstea de algo. Um não sei quê.

'Sta Vida, meu amor, é TUDO e NADA!
É poeira, qu'o vento arrasta, p'la 'strada.
É como a Fé, se sente, mas não se vê!

============F I M============

Escrito por: Liska Azevedo em Agosto de 1988

Sem comentários:

Enviar um comentário