quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Carnaval sem máscara

Não quero...
Não quero a máscara do que não sou
Meus olhos a luz do meu império
Minha boca a palavra onde estou
Não quero... Ser transformado
Nem que seja por um dia
Meu rosto é simplicidade
Meu corpo o fato da alegria
E num todo... Sou a minha identidade
Não quero...
Trocar o dia... É carnaval
Máscaras de brincar
Mascarados de vontade carnal
Não quero... Ser a máscara sem gritar
A magia sem máscara é meu sorriso
A euforia sem máscara é o meu bailar
Bailar como quem canta
A voz de máscara real... O juízo
Não quero... Amar por amar
Quero uma dança na suavidade da manta
O carnaval com mais calor
Não quero... Pular sem vontade
Não quero... A máscara do pudor
Porque sou quando quero
A máscara do amor

José Alberto Sá
Carnaval sem máscara


Não quero...
Não quero a máscara do que não sou
Meus olhos a luz do meu império
Minha boca a palavra onde estou
Não quero... Ser transformado
Nem que seja por um dia
Meu rosto é simplicidade
Meu corpo o fato da alegria
E num todo... Sou a minha identidade
Não quero...
Trocar o dia... É carnaval
Máscaras de brincar
Mascarados de vontade carnal
Não quero... Ser a máscara sem gritar
A magia sem máscara é meu sorriso
A euforia sem máscara é o meu bailar
Bailar como quem canta
A voz de máscara real... O juízo
Não quero... Amar por amar
Quero uma dança na suavidade da manta
O carnaval com mais calor
Não quero... Pular sem vontade
Não quero... A máscara do pudor
Porque sou quando quero
A máscara do amor


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário